Quem Somos

Expresso Nepomuceno busca soluções tecnológicas para melhorar eficiência operacional com a Lumini IT Solutions

Empresa de TI recebeu o desafio de avaliar o conjunto de dados de todos os roteiros realizados em 2020, iniciando a construção de um algoritmo para otimização de rotas e sugestões de melhorias com base em estatísticas.

A Expresso Nepomuceno, empresa que atua há mais de 60 anos no segmento de logística e está entre as dez maiores desse setor no Brasil, contratou a Lumini IT Solutions, empresa com mais de 14 anos de experiência em solucionar desafios complexos de negócio por meio da tecnologia, para iniciar um projeto de Engenharia de Dados com o objetivo de otimizar a logística de entrega em todo o estado de Minas Gerais.

Segundo Lucas Moreira, Supervisor de Estratégia e Inovação da Expresso Nepomuceno, a principal dificuldade era roteirizar as entregas de forma a ser possível entregar no prazo com a maior saturação de carga do veículo, percorrendo a menor quilometragem e reduzindo os custos variáveis operacionais.

A empresa de TI recebeu o desafio de avaliar o conjunto de dados de todos os roteiros de uma determinada operação, realizados em 2020, iniciando a construção de um algoritmo para otimização de rotas e sugestões de melhorias com base em estatísticas.

A Expresso Nepomuceno conta com cerca de 65 filiais e bases operacionais e mais de 7.780 equipamentos e veículos. Atualmente, a empresa com sede em Lavras (MG) conta, em um de seus segmentos de atuação, com três centros de distribuição no estado de Minas Gerais, ou seja, possui um volume significativo de entregas.

Assim, a Lumini IT Solutions iniciou o projeto analisando os dados e informações com relação às rotas de entregas no ano de 2020.

“Dividimos o projeto em três etapas: primeiro, fizemos o tratamento e limpeza dos dados, depois a análise exploratória das informações e, por último, a geração de modelos de propensão.”

Jeferson Formicola, CTO (Chief Technology Officer) da Lumini.

Ele explica que, na primeira etapa do projeto decidiu-se trabalhar com a variável “Rota” como identificador.

Foram analisadas as cidades com as maiores quantidades de entregas. “Analisamos as atividades por centro de distribuição, entendendo que um deles era o responsável por mais de 50% das entregas realizadas. Havia um segundo com menos de 15% de entregas, e um último atendendo um raio maior que os demais”, esclarece ele.

A solução adotada foi baseada na relação entre cidades com base nos roteiros realizados.

Segundo o executivo detalha, o conceito de ‘importância’ foi baseado em uma estatística descritiva: a frequência relativa. Em outras palavras: o quanto uma combinação de cidades ocorreu no período em questão. Para definir a importância, foi preciso encontrar uma frequência mínima de tal forma que, para que uma combinação (de N cidades) pudesse ser considerada importante, ela precisaria ocorrer em pelo menos x por cento das entregas.

“Realizamos testes com três valores possíveis como frequência mínima (1%, 0.5% e 0.1%).  Para cada teste realizado, a quantidade de cidades e a frequência nessas combinações foram observadas. A média amostral com um intervalo de confiança de 95% foi usada para descrever esses dados”, diz Jeferson.

Baseando-se nas correlações encontradas entre cidades, pôde-se verificar se as cidades consideradas importantes estão sendo atendidas pelos melhores centros de distribuição.

Com os roteiros relevantes filtrados, a próxima etapa foi avaliá-los. Para fazer isso, ordenou-se as cidades de um roteiro de tal forma que a distância percorrida fosse a menor possível. Esse tipo de problema (ajuste de roteiros) é abordado em um campo chamado VRP (Problemas de roteirização de veículos).

“É uma classe de problemas que envolve encontrar um formato ideal de rotas que serão atendidas por uma frota de veículos para servir um conjunto de clientes. Dentre as características encontradas nesse conjunto de problemas podemos listar a atribuição de uma rota mais curta à um veículo de tal forma que a quantidade de entregas atenda suas limitações de capacidade”, complementa Jeferson.

Para a criação desses roteiros otimizados, foram adotadas as seguintes premissas: o caminhão não pode passar duas vezes pela mesma cidade no percurso, precisa realizar 100% das entregas e voltar ao ponto de partida. Assim, a Lumini calculou a distância total percorrida e o ponto de partida ideal (considerando os centros de distribuição disponíveis). A distância total percorrida foi usada para comparar os roteiros atuais com os roteiros otimizados.

“Foram encontrados mais de 200 roteiros onde uma origem diferente produziria uma redução na distância total do percurso. Redistribuímos então as cidades com base no centro de distribuição recomendado”, conta Jeferson.

Como resultado, se substituir os trajetos atuais pelos roteiros otimizados, a Expresso Nepomuceno pode reduzir em até 22,9% a distância total percorrida, graças ao realinhamento de cerca de 70% dos roteiros.

“Contribuímos para que a Nepomuceno entendesse como as entregas estavam distribuídas nas cidades atendidas e definimos conjuntamente um conceito de ‘importância’, para filtrar os roteiros/cidades que possuem maior relevância. Com esse projeto, pudemos encontrar correlações entre cidades e mensurar a força dessa correlação com base nos roteiros, recomendando o melhor centro de distribuição para atender uma cidade com base nas correlações e melhores rotas”, comenta Jeferson.

Já para Moreira, a contribuição da Lumini nesse projeto foi fundamental para o entendimento dos dados e também dos questionamentos internos.

“Foi uma participação ativa e os pontos levantados durante o projeto nos provocaram a analisar melhor nossa base de dados e as informações geradas a partir dela. O principal benefício gerado foi a validação de quais cidades poderiam ser atendidas por centros de distribuição diferentes dos atuais e assim melhorar a nossa logística”.

Lucas Moreira,  Supervisor de Estratégia e Inovação da Expresso Nepomuceno.

Open chat
Precisa de ajuda?
Olá,
em que podemos te ajudar?